Frase do ano e quiça do mês!!!

” Como a velocidade da Luz é maior que a velocidade do Som – Algumas pessoas parecem inteligentes, até ao momento em que abrem a boca…”


By Tareco EACB

Alguém me explica???

pensador21Cada dia que passa, sinto-me mais burro???

Alguém me pode explicar?

A ver se me faço entender, pergunto-me muitas vezes qual é o porque de existirem tantas tentativas de imitações, com o intuito de depois serem “usadas” pelos mesmos como originais?

Será que chegamos a um ponto em que as pessoas já se cansaram de inovar, de melhorar e não tentar fazer o que outros já fizeram?

Alguém me explica?

Algo que tambem me faz confusão, é a falsidade cada vez maior das pessoas que nos rodeiam…

Alguém me explica?

Bem penso que se continua-se não haveria blogue que chega-se para tanta questão pertinente, imaginemos então se for para contar as questões não pertinentes…

Gostava de saber vossa opinião e também de saber quais as vossas perguntas!

É só enviar mail para:
estranhomundodetruta@gmail.com
Aquele abraço…

Homenagem a…

H.R. GigerH. R. Giger

H. R. Giger (Hans Ruedi Giger) is an Academy Award-winning Swiss painter, sculptor, and set designer best known for his design work on the film Alien.

Born in 1940 to a chemist’s family in Chur, Switzerland, went to the Catholic Marienheim and then transferred to Auntie Grittli’s Reformational Kindergarten. He moved in 1962 to Zurich, where he studied architecture and industrial design at the School of Applied Arts. By 1964 Giger lived in the Venedigstrasse in Enge, Zurich. During the day, he attended the School of Applied Arts in Zurich, second year, Interior Design and Industrial Design department.

Giger’s unique style and thematic execution is frequently imitated in modern art practice. His design for the Alien was inspired by his painting Necronom IV and earned him an Oscar in 1980. His third published book of paintings, titled Necronomicon (followed by Necronomicon II in 1985), continued his rise to international prominence, as did the frequent appearance of his art in the magazine Omni. Giger is also well known for artwork on a number of popular records.

Giger got his start with small ink drawings before progressing to oil paintings. For most of his career, Giger has worked predominantly in airbrush, creating monochromatic canvasses depicting surreal, nightmarish dream-scapes. He has largely abandoned large airbrush works in favor of works with pastels, markers or ink. His most distinctive stylistic innovation is that of a representation of human bodies and machines in a cold, interconnected relationship, described as “biomechanical”. His paintings often display fetishistic sexual imagery. His main influences were painters Ernst Fuchs and Salvador Dalí. He met Salvador Dalí, to whom he was introduced by painter Robert Venosa. He was also a personal friend of Timothy Leary. Giger is perhaps the best-known sufferer of night terrors and his paintings are all to some extent inspired by his experiences with that particular sleep disorder. He was originally educated as an architect and made his first paintings as a way of art therapy.

Giger is often referred to in pop culture and especially in works of the science fiction and cyberpunk genres. Novelist William Gibson (who wrote an early script for Alien³) seems particularly fascinated, presenting in Virtual Light a minor character, Lowell, with New York XXIV tattooed across his back and a secondary character, Yamazaki in Idoru specifically describes the buildings of nanotech Japan as Giger-esque.

Movies

* Dune (designs for unproduced Alejandro Jodorowsky adaptation of the Frank Herbert novel; The movie Dune was later made in an adaptation by David Lynch.)

* Alien (designed, among other things, the Alien itself, The Derelict and the Space Jockey)

* Alien3 (designed the puma like Alien bodyshape, plus a number of unused concepts, many mentioned on the special features disc of Alien3)

* Poltergeist II: The Other Side

* Killer Condom

* Species (designed Sil and the Ghost train in a dream sequence)

* Batman Forever (designed radically different envisioning of the Batmobile; design not used in the film)

* Future-Kill (designed artwork for the movie poster)

Work for recording artists

* Celtic Frost: To Mega Therion

* Magma: Attahk

* Emerson Lake and Palmer: Brain Salad Surgery

* Steve Stevens’ Atomic Playboys

* Deborah Harry, portraits for Koo Koo album cover and videos “Backfired” and “Now I Know You Know” (1981)

* hide: Hide Your Face

* Danzig: Danzig III: How the Gods Kill

* Dead Kennedys’ album Frankenchrist, Poster insert of Landscape XX (which lead to an obsenity trial)

* Atrocity – Hallucinations

* Black Sun Productions

* Island: album cover for Pictures

* Korn’s Jonathan Davis commissioned Giger to sculpt his microphone stand. Three microphone stands were made but only one given to Davis.

* Carcass used Life Support 1993 for the cover of their 1993 album, Heartwork.

* Designed the stage for Mylène Farmer’s 1999 “Mylenium” tour.

* Blondie’s Chris Stein commissioned Lieber Guitars to create Stein’s unique “Gigerstein” guitar based on Giger’s artwork.

* Helped to design the first professional video clip of “Böhse Onkelz” called “Dunkler Ort” (dark location) from their album “Ein böses Märchen…aus tausend finsteren Nächten”, which was released in 2000.

* Ibanez Guitars has released second generation of H.R. Giger Signature Models hr giger RG & hr giger S series with legacy artwork on the guitar body, second generation of 4-string guitar bass SRXHRG1 also released with the same concept.

Interior decoration

* Giger Bars in Switzerland’s Chur and Gruyères

* Museum H. R. Giger in Gruyères

Computer games

* Dark Seed and its sequel, Dark Seed II, both adventure games for the Amiga, Amiga CD32, and the PC, were published by Cyberdreams. The games were also released for the PlayStation and Saturn in Japan.

in http://en.wikipedia.org/wiki/H._R._Giger

Alien by Giger

Perguntem-me como!!!

Sou uma Truta Mutante!!!

Pensamento do Dia!!!

Não seremos todos iguais?

Cada vez mais temos estereótipos na nossa pequena e misera sociedade, o que foi do romance?  O que foi do ” te quero “ para toda a vida!

Vivemos num mundo onde só importa o descapotável do ” X “ e a casa da praia do ” Y “ entre outros que agora me escuso de referir…

Faz-nos falta o ” te quero “, faz-nos falta o ” és tu “ que quero como minha vida.

Pergunto novamente ao vento ” Não seremos todos iguais? “

Onde pára o ” Uau! És linda! “ vindo do nosso mais profundo ser! Pois! Esqueci-me!

Esqueci-me que vivemos no século da falsidade e da ilusão!!!

” Não seremos todos iguais? “

Tributo a…

Hoje gostaria de fazer um tributo a um grande Homem.

Alguns dizem dele um revolucionário, outros um homem do povo, uma lutador, uma lider, um sonhador…

Ernesto Guevara de la Serna, mais conhecido por Che Guevara ou El Che

Ernesto Guevara de la Serna nasceu em Rosário, importante cidade industrial Argentina ao noroeste de Buenos Aires, numa família de classe média alta e antiperonista.

Ernesto tinha dois anos quando sofreu o primeiro ataque de asma. Estudou grande parte do ensino fundamental com sua mãe em casa, onde havia uma biblioteca de cerca de três mil volumes com obras de Marx, Engels e Lenin, com os quais se familiarizou em sua adolescência. Por volta dos 12 ou 13 anos lia frequentemente. Sabe-se que leu Júlio Verne, Alexandre Dumas, Baudelaire, Neruda e Freud aos 15 anos.

Os ataques de asma sofridos por Ernesto durante a infância foram muito violentos e em vista de o menino não melhorar, os médicos aconselharam uma mudança de ares. Em 1932, quando Ernesto tinha quatro anos, a família mudou-se para a região de Córdoba, no centro da Argentina, que na altura não era ainda a zona industrial que hoje é. Radicaram-se em Altagracía, uma pequena estância de veraneio, não muito longe da cidade de Córdoba. Viviam numa casa de estilo inglês, uma cottage chamada Villa Nidia. Foi titular do primeiro time de juniores do Velez Sarsfield.

Em 1944, os negócios da família de Che vão mal e Ernesto emprega-se como funcionário da Câmara de uma vila nos arredores de Córdoba para ajudar as finanças em casa, sem deixar, contudo, de estudar.

Em 1946, terminou o liceu. Os Guevara mudaram-se para Buenos Aires e Ernesto ingressou na universidade, estudando medicina. Continuando a situação econômica a deteriorar-se, foram obrigados a vender com prejuízo a plantação de mate que tinham desenvolvido. Na capital, Ernesto empregou-se outra vez como funcionário municipal e mais tarde numa tipografia, continuando, não obstante, o curso de medicina. Houve um período durante o qual trabalhou como voluntário num instituto de pesquisas sexuais, então mantido pelo partido comunista. Nesse mesmo ano de 1946, foi chamado ao serviço militar, que, ironicamente, o recusou por inaptidão física.

Depois da Segunda Guerra Mundial, com a vitória dos aliados, a oposição a Juan Domingo Perón ganhou novo ânimo. Os estudantes constituíram a sua camada mais aguerrida. Guevara participou nessas lutas.

Fez uma viagem, começada de bicicleta e terminada a pé, pelas províncias argentinas de Tucumán, Mendoza, Salta, Jujuy e La Rioja, na qual percorreu diversos resorts Andinos.

E em 1951, seis meses antes de se formar em Medicina, decide interromper o curso – para desespero de seu pai – e iniciar, com Alberto Granado, uma grande viagem pelo continente, de Buenos Aires a Caracas, na velha motocicleta do companheiro, uma Norton 500 cc, fabricada em 1939 e apelidada de La Poderosa II [2]. Nessa viagem, Guevara começa a ver a América Latina como uma única entidade económica e cultural. Visita minas de cobre, povoações indígenas e leprosários, interagindo com a população, especialmente os mais humildes. De volta à Argentina em 1953 acaba os estudos de Medicina e passa a dedicar-se à política.

Em 1953, Guevara atuou como repórter fotográfico cobrindo os Jogos Pan-Americanos do México, por uma agência de notícias argentina. Ainda em julho de 1953, inicia sua segunda viagem pela América Latina. Nessa oportunidade visita Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, El Salvador e Guatemala.

Foi por causa da visão de tanta miséria e impotência e das lutas e sofrimentos que presenciou em suas viagens que o jovem médico Ernesto Guevara concluiu que a única maneira de acabar com todas as desigualdades sociais era promovendo mudanças na política administrativa mundial.

Em sua passagem pela Guatemala, onde chegou em Dezembro de 1953, Che presencia a luta do recém-eleito presidente Jacob Arbenz Guzmán, liderando um governo de cunho popular, na tentativa de realizar reformas de base, eliminar o latifúndio, diminuir as desigualdades sociais e um dos principais objetivos, garantir a mulher no mercado de trabalho.

O governo americano se opunha a Arbenz e, através da CIA, coordenou várias ações, incluindo o apoio a grupos paramilitares, contra o governo eleito da Guatemala, por não se alinhar à sua política para a América Latina.

As experiências na Guatemala são importantes na construção de sua consciência política. Lá Che Guevara auto define-se um revolucionário e posiciona-se contra o imperialismo americano.

Nesse meio tempo, Che conhece Hilda Gadea, com quem se casa e de cuja união nasce sua primeira filha, Hildita.

Em 1954, no México através de Ñico López, um amigo das lutas na Guatemala, ele conhece Raúl Castro que logo o apresentaria a seu irmão mais velho, Fidel Castro. Esse organiza e lidera o movimento guerrilheiro 26 de Julho, ou M26, em referência ao assalto ao Quartel Moncada, onde em 26 de julho de 1953, Fidel Castro liderou uma ação militar na qual tentava tomar a principal prisão de presos políticos em Santiago. Guevara faz parte dos 82 homens que partem para Cuba em 1956 com Fidel Castro e dos quais só 12 sobreviveriam. É durante esse ataque que Che, após ser duramente espancado pelos rebeldes, larga a maleta médica por uma caixa de munição de um companheiro abatido, um momento que tempos depois ele iria definir como o marco divisor na sua transição de doutor a revolucionário.

Em seguida eles se instalam nas montanhas da Sierra Maestra de onde iniciam a luta contra o presidente cubano Fulgencio Batista, que era apoiado pelos Estados Unidos.

Os rebeldes lentamente se fortalecem, aumentando seu armamento e angariando apoio e o recrutamento de muitos camponeses, intelectuais e trabalhadores urbanos. Guevara toma a responsabilidade de médico revolucionário, mas, em pouco tempo, foi se tornando naturalmente líder e seguido pelos rebeldes.

Após a vitória dos revolucionários em 1959, Batista exila-se em São Domingos e instaura-se um novo regime em Cuba, de orientação socialista. Mas teria sido a hostilidade dos Estados Unidos que levou ao seu alinhamento com a URSS. (“Eu tinha a maior vontade de entender-me com os Estados Unidos. Até fui lá, falei, expliquei nossos objetivos. (…) Mas os bombardeios, por aviões americanos, de nossas fazendas açucareiras, das nossas cidades; as ameaças de invasão por tropas mercenárias e a ameaça de sanções econômicas constituem agressões à nossa soberania nacional, ao nosso povo”.) (Fidel Castro, a Louis Wiznitzer, enviado especial do GLOBO a Havana, em entrevista publicada em 24 de março de 1960).

in http://pt.wikipedia.org/wiki/Che_Guevara

Dá a tua oipiniao para este mail ou então neste mesmo post!

estranhomundodetruta@gmail.com

Espero por vossas opiniões

Até já!

Aqui ando eu de novo!!!

Bem como o meu outro blog “da concorrência” pifou, decidi continuar a minha eterna luta por aqui no WORDPRESS…

Em breve colocarei novos post’s, fotos e afins!!!

Até já!

  • Calendário

    • Agosto 2017
      S T Q Q S S D
      « Jun    
       123456
      78910111213
      14151617181920
      21222324252627
      28293031  
  • Pesquisar